Informação sobre doenças da tireoide, causas, sintomas e tratamento das doenças da tireoide, incluindo os nódulos da tireoide.


Carcinoma medular da tireoide

A glândula tireoide é formada por dois tipos de células: as foliculares, responsáveis pela formação dos hormônios tireoidianos, e as parafoliculares ou células C, produtoras da calcitonina.
O Carcinoma Medular de Tireoide é o carcinoma proveniente das células C, muito raro e com pior prognóstico do que os carcinomas bem diferenciados. Pode ocorrer de forma esporádica, não hereditária ou como uma doença hereditária autossômica dominante.
Na forma esporádica, acomete principalmente adultos, com média de idade por volta dos 45 anos, enquanto que na doença hereditária acomete pacientes mais jovens, com média de idade de 35 anos.
Cerca de 75% dos casos de Carcinoma Medular de Tireoide são da forma esporádica, enquanto a forma hereditária ocorre em 25% dos casos, totalizando um valor de 5 a 8% de todos os casos de carcinoma de tireoide.
O CMT se apresenta clinicamente com nódulos tireoidianos, disfalgia, estridor, dispneia e possíveis nódulos cervicais provindos de metástases.
O diagnóstico pode ser feito por histologia, padrão-ouro para o diagnóstico de lesões de tireoide. A punção aspirativa por agulha fina é outro método que pode ser empregado, pois possui alta sensibilidade e especificidade, com baixo custo e pouco invasivo e técnicas de imuno-histoquímica, marcadores tumorais e técnicas moleculares.
O principal tratamento para carcinomas de tireoide é a tireoidectomia total, retirada de toda glândula ou tireoidectomia subtotal, retirada parcial da glândula. Em casos de metástases em linfonodos é indicado o esvaziamento cervical. O uso de iodo radioativo também pode ser feito, como tratamento complementar, mas é mais utilizado em casos de risco de recidiva ou morte.
ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL